Hackers promoveram na madrugada desta sexta-feira (19) um ataque cibernético à rede corporativa da Celg Geração e Transmissão (Celg GT). Segundo a empresa, todas as aplicações e arquivos ficaram comprometidos.

Em nota, a estatal informou que “ainda não foi possível identificar a extensão dos danos e nem precisar a origem do ataque, mas desde as primeiras horas do dia a Superintendência de Tecnologia da Informação da companhia está seguindo todos os protocolos de segurança, inclusive com a suspensão do funcionamento de seu ambiente informatizado para proteger a integridade das informações e, ao mesmo tempo resguardar os backups”.

A Celg GT informou que o serviço de e-mail os colaboradores foi preservado e, portanto, não houve vazamento e dados pessoais dos servidores.

Conforme a empresa, profissionais de tecnologia estudam o modelo de ataque criminoso para desenvolver soluções. Quando o processo for concluído, a Celg GT disse que pode tomar medidas legais contra os hackers.

Privatização

A privatização da Celg GT foi aprovada em fevereiro pela CelgPar. Um estudo avaliou a estatal em R$ 1,5 bilhão.

A CelgPar anunciou a abertura de uma Data Room para investidores interessados na aquisição da Celg GT. A alienação das ações e participações em outros empreendimentos será no dia 13 de maio, em leilão especial da Brasil, Bolsa e Balcão (B3).

Também estão definidas outras datas do calendário de privatização. A publicação oficial do edital ocorrerá em 8 de abril, e o Roadshow com exposição ampla das estruturas da empresa aos investidores interessados no dia 15 de abril, através da TV B3. A diretoria da CelgPAR espera concluir este processo com a realização de um leilão que atinja os objetivos de interesse dos acionistas no leilão do dia 13 de maio na B3.

Apesar do balanço de 2020 ainda não ter sido divulgado, já que as normativas da CVM exigem uma série de procedimentos antes da revelação dos resultados, a estimativa é de que a Celg GT alcance lucro líquido superior a R$ 100 milhões, superando os números de 2019 que bateram em R$ 71,1 milhões.

Fonte:https://diariodegoias.com.br