Em agosto de 2021, uma loja de departamentos sofreu um ataque cibernético em parte de seus sistemas e operações, forçando a empresa a suspender suas atividades online. O e-commerce da marca no site e no aplicativo ficou indisponível e os clientes não puderam realizar suas compras.

Além da loja de departamentos, outras empresas também foram alvo de ciberataques em 2021, como uma companhia que opera no processamento de carnes, que foi alvo de um ataque e resolveu pagar 11 milhões de dólares de resgate aos hackers, em junho deste ano. Outro caso recente envolve o Ministério da Economia, que teve a rede interna da Secretaria do Tesouro Nacional invadida por um ataque de ransomware, um vírus que impede o acesso às informações armazenadas no sistema da empresa. O objetivo dos hackers é forçar o pagamento para recuperação do acesso aos dados.

A Zoho, empresa de tecnologia global que oferece amplo conjunto de aplicativos e softwares de negócios, encomendou um estudo através da plataforma Toluna, com 1.000 brasileiros questionando sobre a segurança dos dados online. Na pesquisa, 48% dos entrevistados afirmaram que deixariam de comprar em uma empresa se descobrissem que o site já sofreu ataque cibernético.

O estudo também questionou os 1.000 respondentes sobre a relação que eles mantêm com as lojas ao realizar compras por meio digital. 65% dos respondentes afirmaram que têm medo de fornecer seus dados pessoais ao realizar uma compra online.

Já 72% afirmaram que evitam fazer negócios com lojas virtuais que não tenham domínio de email próprio. Entre os respondentes, 39% disseram que confiam mais em comprar no aplicativo da loja do que no site.

A pesquisa da Toluna foi realizada entre os dias 7 e 13 de julho de 2021, com 1.000 pessoas das classes A, B e C, segundo critério de classificação de classes utilizado pela Abep – Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, onde pessoas da classe C2 tem renda média domiciliar de R$ 4.500 por mês. Estudo feito com pessoas acima de 18 anos, de todas as regiões brasileiras, com 3 pontos percentuais de margem de erro e 95% de margem de confiança.

Fonte:https://tiinside.com.br/28/09/2021/48-deixariam-de-comprar-em-lojas-alvo-de-ataque-cibernetico/